Sucuri com mais de 10 metros pode ter sido avistada no lago de Marcelino Ramos

foto 1
Neri dos Santos, com a Sucuri

  Uma história que habita o imaginário dos moradores de Marcelino Ramos ganhou um novo e misterioso capítulo neste mês de abril. Um fato que até então para os descrédulos era apenas mais uma de tantas lendas que são contadas por nossos pais ou avós. O empresário Valdemar dos Santos, proprietário da balsa que faz a travessia no rio Uruguai em Marcelino Ramos, confirmou a nossa equipe de reportagem que na década de 70 criava uma Sucuri. O filhote da serpente, considerada a maior do mundo e que pode chegar a 20 metros de comprimento, foi comprado em Ilha Grande na divida do Paraná com o Mato Grosso. Quando a Sucuri foi comprada ela media 2 metros e pesava cerca e 10 quilos com um diâmetro avantajado que impressionava os marcelinenses. Na foto ela aparece enrolada no pescoço de Neri dos Santos, filho do balseiro. Ele criava a Sucuri num viveiro cercado de tela junto com uma Jibóia que acabou morrendo. Ela era alimentada com peixes e ratos e era o foco das atenções no viveiro especial que ficava numa casa localizada próximo ao antigo posto fiscal de Marcelino Ramos.  Depois de 8 meses, numa determinada manhã, o empresário quando chegou ao viveiro foi surpreendido com um enorme buraco na tela. A Sucuri havia fugido para o rio Uruguai, expandindo um dos gomos da tela.

Aparição    

foto 2
Local onde serpente teria sido vista

    Mas o fato que mais chama atenção é que a Sucurí pode ainda estar viva e ainda habitando as águas do rio Uruguai. Ao longo dos últimos anos surgiram comentários de que uma serpente de grande porte teria sido vista no estreito e também em Rancho Grande por pescadores e agricultores.  O relato mais impressionante é de um balseiro de Marcelino Ramos, que em companhia de outras pessoas que se preparavam para fazer a travessia, avistaram uma cobra gigante que pode ser a mesma que pertencia ao empresário Valdemar dos Santos. O fato teria sido registrado no ano passado no porto da balsa em Marcelino. Gilmar Jaróz, responsável por pilotar a lancha da balsa, se preparava para manobrar a embarcação quando homens que estavam num caminhão de uma Ervateira de Gaurama começaram gritar que tinha algo estranho na água, muito próximo da balsa. O grupo de pessoas visualizou a Sucuri em três partes na água, sendo que a cabeça estava de fora quase da altura da balsa. Em poucos segundos ela desapareceu. As testemunhas relataram ao empresário Valdemar dos Santos que ela media 10 metros e 80 quilos e tinha um diâmetro da mesma proporção do corpo de uma capivara. Valdemar dos Santos acredita que a cobra seja a mesma que fugiu há cerca de 30 anos.

Confira entrevista com Valdemar dos Santos onde ele confirma a história:

Concórdia
 Na manhã desta segunda-feira a equipe do Portal de Marcelino recebeu a informação, da imprensa de Concórdia, de que uma Sucuri de grande porte também já teria sido vista em algumas ocasiões no Rio Jacutinga. O rio é um dos afluentes do lago da Usina Hidrelétrica de Itá, o mesmo de Marcelino. Há possibilidade de ser a mesma serpente.

Sucuri

Foto ilustrativa
Foto ilustrativa

Também conhecidas como anacondas, as sucuris estão entre as maiores cobras do mundo – e ficam em primeiro lugar no continente americano nesse quesito. Seu tamanho só é ultrapassado pela sua prima asiática, a píton reticulada (Python reticulatus), conhecida como “comedora de macacos”. Há inúmeras lendas arrepiantes sobre sucuris devoradoras de gente. As sucuris não são venenosas. Possuem dentição áglifa, sem dentes inoculadores de veneno. Mas a mordida poderosa atordoa a presa, que é rapidamente envolvida pelo corpo forte e robusto da serpente. Essas cobras enormes vivem próximas a rios e lagos. Possuem hábito semi-aquático e, apesar de lentas na terra, são muito ágeis dentro d’água.  Geralmente elas se enrolam ao redor da presa que é levada para a água, onde morre por afogamento. O “abraço” forte das sucuris também pode matar suas vítimas por asfixia – cada vez que a presa expira, a serpente aperta mais até impedir a respiração por completo. Embora relatos populares afirmem que a sucuri verde é capaz de engolir um boi, os bezerros é que são suas vítimas. No cardápio das Eunectes spp. encontram-se ainda capivaras, veados, peixes, tartarugas e jacarés.

 

Gostou! Compartilhe nas Redes Sociais

4 Comentários

  1. Vanderlei de Andrade

    caramba vivi pelo rio uruguai trabalhei na balsa e nunca vi a desgraçada só da mentirozo em M RAMOS até TUBARÁO táo pegando kkkkkkkkkkkkkkkkkk ainda bem que sou o pantérra e me mandei pra ERECHIM senão éra mais uma selebridade de M RAMOS RA RA RA RA RA RA RA RA

    Responder

  2. Vanderlei de Andrade

    caramba vivi pelo rio uruguai trabalhei na balsa e nunca vi a desgraçada só da mentirozo em M RAMOS até TUBARÁO táo pegando kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder

  3. Benito Antonio Sachetti

    A foto que aperce um mergulhador com escafandro foi tirada no sentido para leste ,portanto de Marcelino Ramos para Santa Catarina.visualizando-se a foto da esquerda se tem certo a anatomia geografica do terreno.O nucleo de casas que se ve era o acampamento da compania construtora que fez o trecho de São Paulo até o Rio Uruguai.

    Responder

  4. noredi j santos

    Êta cobra danada. . . muitos viram mas nimguém quis pega-la. . . sai pra lá cobrão do waldemar. . .rs rs rs.

    Responder

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail nunca será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com um asterisco;*).